Empiricus muda de atitude, pede desculpas por caso Bettina e fortalece compliance

Após sanções dos órgãos reguladores, a Empiricus reviu seus processos, fez pedido público de desculpas e demonstrou evolução em seu departamento de compliance.

Bettina Rudolph Rudolph ficou famosa nas redes sociais ao protagonizar um comercial da Empiricus. No anúncio que viralizou, de pouco mais de um minuto, a copywriter diz ter feito com que um investimento de mil reais chegasse ao montante superior a um milhão de reais em cerca de três anos. Para isso, levou em consideração somente os conselhos estratégicos e relatórios da companhia.

Por conta do exagero da campanha, os principais órgãos reguladores que tratam dos direitos do consumidor se manifestaram. Primeiro o Procon, que aplicou uma multa, depois o Conar, que solicitou que o vídeo fosse suspenso e a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) se valeu do caso para divulgar uma série de orientações acerca da propaganda envolvendo os analistas financeiros.

Pouco mais de seis meses após a repercussão do anúncio, a Empiricus cria uma nova campanha, mas desta vez para pedir desculpas. Nele, Bettina volta a cena, se apresenta e em seguida se desculpa pelo relacionamento com o público ter se iniciado de forma incorreta.

De acordo com a copywriter, foi passada a mensagem distorcida de que seu patrimônio evoluiu rapidamente ou da forma fácil, o que não é verdade. Ela admite que realmente conseguiu um milhão investindo, mas os mil reais iniciais não foram seus únicos aportes feitos durante os três anos de sua evolução patrimonial.

Bettina pede uma segunda chance e afirma que nem ela, nem a marca tiveram qualquer lucro com a repercussão do anúncio, já que seu intuito era oferecer um curso grátis. Era uma formação sobre investimentos, em que o usuário poderia entender mais sobre como funciona o mercado de capitais, investimentos de risco e conservadores. Assim poderia escolher a melhor opção de acordo com seu perfil.

Mais do que o pedido de desculpas, a Empiricus mudou sua forma de agir, aumentou a rigidez e controle sobre seus processos e comunicações, além de contratar profissionais ainda mais renomados para compor sua equipe de análise financeira.

Ademais, a empresa buscou se aproximar das entidades reguladoras, principalmente a CVM com quem teve alguns problemas no passado. A companhia dizia que a entidade não poderia fiscalizar suas ações, uma vez que não se enquadra como casa de análise, mas sim um player de conteúdo sobre o mercado de capitais.

Agora sua postura é de alinhamento, tanto que busca atender suas orientações, como a criação de alertas de risco em sua publicidade. São mensagens que informam que os lucros anteriores não garantem rendimentos futuros. Esses alertas se mostraram uma referência para os demais players de conteúdo.

Todas essas ações foram determinantes para fortalecer o compliance da Empiricus, departamento que tem o objetivo de tornar as atividades do negócio adequadas com a legislação do país, bem como as normas das entidades reguladoras. Nenhuma concorrente possui um compliance tão bem estruturado e algumas delas nem sequer dão atenção ao departamento.

Leave a comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *