Empiricus muda de atitude, pede desculpas por caso Bettina e fortalece compliance

Após sanções dos órgãos reguladores, a Empiricus reviu seus processos, fez pedido público de desculpas e demonstrou evolução em seu departamento de compliance.

Bettina Rudolph Rudolph ficou famosa nas redes sociais ao protagonizar um comercial da Empiricus. No anúncio que viralizou, de pouco mais de um minuto, a copywriter diz ter feito com que um investimento de mil reais chegasse ao montante superior a um milhão de reais em cerca de três anos. Para isso, levou em consideração somente os conselhos estratégicos e relatórios da companhia.

Por conta do exagero da campanha, os principais órgãos reguladores que tratam dos direitos do consumidor se manifestaram. Primeiro o Procon, que aplicou uma multa, depois o Conar, que solicitou que o vídeo fosse suspenso e a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) se valeu do caso para divulgar uma série de orientações acerca da propaganda envolvendo os analistas financeiros.

Pouco mais de seis meses após a repercussão do anúncio, a Empiricus cria uma nova campanha, mas desta vez para pedir desculpas. Nele, Bettina volta a cena, se apresenta e em seguida se desculpa pelo relacionamento com o público ter se iniciado de forma incorreta.

De acordo com a copywriter, foi passada a mensagem distorcida de que seu patrimônio evoluiu rapidamente ou da forma fácil, o que não é verdade. Ela admite que realmente conseguiu um milhão investindo, mas os mil reais iniciais não foram seus únicos aportes feitos durante os três anos de sua evolução patrimonial.

Bettina pede uma segunda chance e afirma que nem ela, nem a marca tiveram qualquer lucro com a repercussão do anúncio, já que seu intuito era oferecer um curso grátis. Era uma formação sobre investimentos, em que o usuário poderia entender mais sobre como funciona o mercado de capitais, investimentos de risco e conservadores. Assim poderia escolher a melhor opção de acordo com seu perfil.

Mais do que o pedido de desculpas, a Empiricus mudou sua forma de agir, aumentou a rigidez e controle sobre seus processos e comunicações, além de contratar profissionais ainda mais renomados para compor sua equipe de análise financeira.

Ademais, a empresa buscou se aproximar das entidades reguladoras, principalmente a CVM com quem teve alguns problemas no passado. A companhia dizia que a entidade não poderia fiscalizar suas ações, uma vez que não se enquadra como casa de análise, mas sim um player de conteúdo sobre o mercado de capitais.

Agora sua postura é de alinhamento, tanto que busca atender suas orientações, como a criação de alertas de risco em sua publicidade. São mensagens que informam que os lucros anteriores não garantem rendimentos futuros. Esses alertas se mostraram uma referência para os demais players de conteúdo.

Todas essas ações foram determinantes para fortalecer o compliance da Empiricus, departamento que tem o objetivo de tornar as atividades do negócio adequadas com a legislação do país, bem como as normas das entidades reguladoras. Nenhuma concorrente possui um compliance tão bem estruturado e algumas delas nem sequer dão atenção ao departamento.

Com pedido de desculpas, Bettina informa sobre os novos passos da Empiricus

No início do ano, Bettina Rudolph, funcionária da Empiricus, viralizou ao protagonizar uma campanha publicitária da empresa, que acabou ganhando uma grande repercussão nacional. Na ocasião, ela disse às câmeras que havia transformado cerca de R$ 1 mil em pouco mais de R$ 1 milhão, tudo isso em um curto intervalo de três anos e seguindo as cartilhas de investimento propostas pela companhia na qual trabalha.

Muito comentado entre os internautas, o vídeo recebeu críticas pelo seu conteúdo e fez com que a Empiricus fosse multada pelo Procon, que também solicitou a suspensão da campanha publicitária. Porém, esse não foi o único órgão que se envolveu na questão, pois a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) também se pautou no episódio para elaborar sua nova cartilha de recomendações acerca da publicidade sobre produtos financeiros.

Agora, meses depois, a empresa lançou um novo vídeo com Bettina, dessa vez com o intuito de revisar alguns conceitos pré-estabelecidos pelo público sobre a marca. Além se desculpar pelo equívoco criado, a funcionária da Empiricus também aproveitou para informar sobre as novidades da empresa, incluindo sua nova estrutura de compliance e alerta de riscos.

Nesse novo vídeo divulgado, Bettina Rudolph admitiu o seu erro em não destacar que foram realizados outros aportes para que a quantia de R$ 1 milhão fosse alcançada. No entanto, ela também relembrou que o primeiro vídeo disponibilizava um curso gratuito da empresa, repleto de dicas sobre como aproveitar os movimentos atuais da bolsa de valores.

De agora em diante os vídeos e relatórios da Empiricus mostram uma mensagem dizendo que os ganhos conquistados no passado não representam uma certeza de que haverá ganhos futuros, uma das normas estabelecidas pela Comissão de Valores Mobiliários. Mesmo afirmando publicamente que o órgão não deveria fiscalizar suas atividades, pelo fato de ser uma empresa do meio editorial e não do mercado financeiro, a Empiricus parece ter decidido deixar de lado sua postura conflitante em relação à CVM.

Uma prova disso são as novidades anunciadas no vídeo, como é o caso do novo departamento de compliance da empresa, que está encarregado de garantir que os regulamentos e normas sejam cumpridos integralmente, tudo isso de uma forma mais ampla e moderna do que qualquer empresa brasileira que atue em uma área relacionada a investimentos.

Segundo a própria Empiricus, a empresa está avançando com os seus processos internos e estreitando os laços com os órgãos reguladores, tanto do mercado de capitais como também do segmento editorial, uma lição aprendida após toda a repercussão do primeiro vídeo. Outra mudança de atitude da companhia ocorreu com a adoção de um sistema de exposição para alertas de risco de operação, o qual tem sido considerado referência no mercado.

Antes de encerrar o novo vídeo em que aparece, Bettina Rudolph ainda destaca alguns dos números da empresa, como o fato da mesma contar atualmente com cerca de 360 mil assinantes, e possuir uma ampla estrutura que abrange mais de 300 colaboradores e funciona em um dos prédios de maior prestígio do centro financeiro da cidade de São Paulo.

Como aumentar os preços para os clientes existentes?

Os clientes nunca estão entusiasmados com a perspectiva de pagar mais pelo que estão acostumados a usar por um determinado preço. Mas essa não é a única razão pela qual é tão difícil aumentar os preços.

O principal motivo é o planejamento medíocre: as empresas negligenciam o desenvolvimento de planos para aumentar os preços até que ocorra uma crise financeira, ou o próprio cliente não admite que “você realmente deveria ter tomado mais [pelo serviço / produto]”.

Isso geralmente é seguido por um aumento de preço apressado, separado do valor do produto e comunicado de forma incoerente ao público-alvo. Para aumentar efetivamente os preços, você precisa de uma estratégia para limitar os riscos e maximizar a economia das alterações nos preços.

O que está em jogo: o impacto exponencial dos aumentos de preços – Muitos profissionais de marketing se concentram nos riscos de preços mais altos: e se você perder clientes? O que acontecerá se ficar mais difícil fechar vendas ou gerar leads? No entanto, os riscos associados à abstenção de aumentar os preços podem ser igualmente sérios – ou até superiores.

Uma estrutura fixa de preços não apenas reduz a receita potencial e, portanto, a quantidade de dinheiro disponível para investir em um produto, mas também afeta a percepção: os clientes verão cada vez mais o seu produto como uma opção “barata” no mercado.

Ponto de partida para qualquer aumento de preço – Cada aumento de preço proposto é realizado em relação a um nível de preço pré-existente. O contraste entre esses dois fatores afeta a percepção do consumidor. Em um sentido mais amplo, esse princípio é conhecido como ancoragem.

A ancoragem é frequentemente usada em páginas tarifárias que oferecem várias opções pelo preço de um serviço, sendo a opção mais cara a “âncora”, em contraste com o que outras ofertas parecem mais justificadas.

Para aumentar os preços, a “âncora” é o preço anterior. E o baixo preço inicial limita sua capacidade de aumentá-lo – mesmo que você gaste muito menos dinheiro que seus concorrentes. Você pode acompanhar os concorrentes que cobram mais dinheiro, mas pode ser necessário fazer isso em etapas ao longo do tempo. Esse problema é o mais grave para empresas com o modelo freemium: os usuários esperam não pagar nada e, para começar a receber deles algum pagamento – mesmo nominal -, será necessário superar uma alta barreira psicológica.

Guia para as métricas mais importantes do Web Analytics

Se você trabalha no nicho digital há muito tempo, provavelmente conhece algumas das métricas de análise da web necessárias.

Algumas dessas métricas são tão importantes que, sem elas, é impossível determinar a eficiência dos vários departamentos da sua organização e algumas são capazes de prever o futuro dos seus negócios.

Existem muitos indicadores, mas nem todos exigem sua atenção. Neste artigo, focaremos nos mais importantes.

Visitantes únicos – este é o número de usuários únicos que visitaram sua página de destino por um determinado período de tempo. Em muitas ferramentas de análise da web, esse indicador é referido apenas como “usuários”, e os cookies são usados ​​para identificar esses usuários quando eles visitam o site novamente.

Novo visitante: visitantes que visitaram seu site pela primeira vez durante um determinado período.

Repetir visitante: o número de visitantes únicos que têm 2 ou mais visitas no prazo.

Visitante recorrente: o número de visitantes únicos que visitaram sua página em uma determinada data e a visitaram anteriormente.

Visitas / Sessões – Uma visita é qualquer interação com o seu site feita pelo usuário por um período específico. Uma sessão é um grupo de interações com um site que ocorre durante um determinado período de tempo.

Visualizações de página – O número de páginas carregadas (ou qualquer conteúdo exibido). Essa é uma métrica muito simples e é rastreada por padrão pela maioria das ferramentas analíticas. Um indicador semelhante para aplicativos é a visualização da tela.

Métricas de análise da Web que você deve sempre acompanhar – Taxa de rejeição – A taxa de rejeição é uma métrica conhecida. Este indicador refere-se à porcentagem de visitas nas quais o visitante visualizou apenas uma página e não executou nenhuma ação (cliques) nela.

Na Internet, você pode encontrar uma tonelada de materiais na taxa de rejeição. Se você tem um blog ou site de informações, é bom ter uma alta taxa de rejeição, mas se for uma loja online ou até mais páginas de destino, o valor da métrica deve ser mínimo.

Taxa de Conversão – A taxa de conversão é o resultado da divisão do número total de metas de página alcançadas pelo número total de visitas. No Google Analytics, essa métrica é chamada de taxa de conversão de comércio eletrônico e taxa de realização de metas. Certifique-se de implementar o mecanismo de rastreamento de comércio eletrônico: sua primeira prioridade é receber os primeiros indicadores, a partir dos quais você pode definir uma meta.

Maneiras de aumentar o engajamento médio em vídeo

74% dos profissionais de marketing acreditam que o conteúdo de vídeo tem muito mais potencial de conversão do que as postagens do blog. Mas não é tão simples. Para que os vídeos o ajudem a gerar mais leads e possam impulsionar a economia de seus negócios, é importante publicar vídeos que possam manter o espectador do começo ao fim.

Obviamente, para criar clipes realmente interessantes e bem-sucedidos de uma audiência, você precisa mais do que apenas uma imagem de alta qualidade ou um script interessante. Quais são esses fatores e como um profissional de marketing pode determinar qual proporção de parâmetros de vídeo – tempo, qualidade e formato – permitirá que ele seja o mais eficaz possível?

Qualidade é a coisa mais importante – Como mencionado acima, para criar vídeos com um alto nível de envolvimento, você precisa não apenas de um script legal e de boa imagem e som, mas esses componentes podem ser considerados os principais: o sucesso do uso de táticas mais avançadas depende da qualidade do seu vídeo como um todo. Isso também se aplica à qualidade do conteúdo em si.

A parte introdutória deve ser convincente – Concentre-se nos primeiros cinco segundos. Você precisa trabalhar duro em como o vídeo começa e como ele captura o visualizador desde os primeiros quadros. No início do vídeo, sempre mencionamos que, mais perto do fim, anunciaremos informações e notícias sobre qualquer tópico importante ou tornaremos estatísticas públicas valiosas. Todas as pessoas são naturalmente curiosas, e essa técnica ajuda a manter o envolvimento do público por um longo período de tempo.

Desperte emoções – Ter vídeos na sua biblioteca de vídeos é bom, mas não o suficiente para que as pessoas o procurem. Você conseguirá um engajamento aprimorado apenas se o vídeo causar uma certa emoção nas pessoas. O homem é uma criatura mais emocional que racional. Nossa natureza anseia por emoções, e é importante não esquecê-la ao desenvolver nossos próprios enredos. Se você deixar as pessoas frente a frente com números e fatos, elas não ficarão muito interessadas no fruto de seus esforços. Mas se você ajudá-los a entender como essas informações se relacionam com suas vidas, como as afeta especificamente, você atrairá a atenção deles. O objetivo é atrair o espectador.

Era do marketing móvel

Mesmo se você se considera um profissional no campo do marketing tradicional, precisa entender que o ambiente móvel é uma fera completamente diferente para os negócios online. E ele desafia a intuição. O que é bom para o desktop nem sempre pode ser adaptado ao formato de smartphones e tablets. Até as métricas diferem: o ambiente do aplicativo é orientado a eventos.

Infelizmente, o marketing móvel ainda não recebe a devida atenção e compreensão. Então, poucas pessoas pensaram em como priorizar corretamente o marketing de produtos para celular.

Otimização de página na loja de aplicativos – Certifique-se de classificar bem as palavras-chave relacionadas ao seu produto. Em seguida, faça a otimização de conversão clássica de todo o seu funil de marketing. Observe que também deve incluir trabalho fora da loja de aplicativos – todas as suas páginas de destino, campanhas publicitárias e qualquer outro conteúdo publicado na rede devem ser otimizados.

Marketing de conteúdo – O objetivo do marketing de conteúdo é criar ou usar o conteúdo que você já tem disponível para familiarizar seu público-alvo com seu produto para celular sem vendê-lo diretamente.

Viralidade – Viralidade é a qualidade do conteúdo que faz com que os consumidores o distribuam ainda mais. Naturalmente, o marketing móvel deve otimizar sua aplicação para os chamados ciclos virais: os momentos em que as pessoas querem contar a seus amigos e conhecidos sobre sua aplicação.

Venda cruzada – A variedade e profundidade de dados que um aplicativo móvel pode fornecer sobre seus clientes é muito mais extensa que a análise da web. Portanto, em qualquer oportunidade, tente transferir uma pessoa da rede para o contexto móvel, do site de email para o aplicativo.

Parcerias e integração – Estabelecer um relacionamento em que todos saem ganhando é a base do marketing móvel bem-sucedido. Esse aspecto também inclui relacionamentos com outros produtos. Se tudo for feito corretamente, todos serão beneficiados.

Visualização de dados – Se você acabou de começar a trabalhar em marketing móvel, provavelmente ainda não adquiriu seu próprio especialista em dados e ainda não teve um desejo ardente de construir seu próprio armazém de dados. Inicialmente, as startups podem usar os serviços listados acima, mas não funcionarão para o crescimento a longo prazo. Os dados devem estar literalmente à mão.

Cientistas criam nave capaz de se aproximar do Sol e obter imagens detalhadas

Cientistas projetaram uma nave com capacidade de sobrevoar próximo ao Sol e registrar imagens mais detalhadas. A nave de origem europeia tem a capacidade de orbitar mais próximo do Sol do que qualquer outra já criada pelo homem. Conhecida como sonda Solar Orbiter, a nave deverá orbitar o planeta Mercúrio, sendo esse o ponto mais próximo que a sonda chegará do Sol. Os cientistas acreditam que essa aproximação é o suficiente para obter imagens mais detalhadas da atividade solar.

O Sol segue um ciclo solar que vale 11 anos aqui na Terra. Esse ciclo e outros fenômenos, como o vento solar (rajadas de partículas vindas do Sol), são objetos de estudo que poderão ser compreendidos melhor com a capacidade das imagens mais detalhadas. Por décadas, o vento solar tem interferido na comunicação de rádio entre os astronautas, além de interferir na comunicação de satélites, provocar interferência na comunicação em solo e provocar curto circuito em redes elétricas. Esse é um dos principais fenômenos que os cientistas pretendem compreender melhor como a obtenção de mais imagens detalhadas do Sol.

“Estamos em busca de saber sobre esses e outros fenômenos que ocorrem no Sol, não para somente acumular conhecimento sobre nossa estrela, mas para sermos eficientes e capazes de nos planejarmos para uma possível tempestade solar de grandes proporções. Podemos fazer isso se conseguirmos antecipar uma tempestade solar antes que ela atinja os satélites em órbita da Terra, fazendo com que os astronautas não permaneçam na estação espacial ao decorrer de uma tempestade”, diz o cientista da ESA (Agência Espacial Europeia), Daniel Müller.

A nova sonda foi projetada e construída no Reino Unido. A empresa responsável pela construção da nave é a Airbus. Foram investidos mais de 220 milhões de euros neste projeto, algo em torno de R$ 1 bilhão. Em 2018, a nave já estava sendo testada para uma avaliação prévia de suas capacidades. O local dos testes foi a instalação da IABG em Ottobrunn, localizada na Alemanha. Nesta bateria de testes realizados no ano passado, a sonda cumpriu com o esperado. A sonda será acoplada ao foguete Atlas que será lançado com destino ao Sol em fevereiro de 2020, mas a sonda permanecerá na órbita de Mercúrio por um longo período. As notícias sobre a nova sonda foram divulgadas em outubro de 2019.