Novos carros elétricos agora podem ser recarregados em apenas 15 minutos

Segundo a notícia, a próxima geração de carros elétricos poderão carregar suas baterias no tempo necessário para encher um posto de gasolina.

Um grupo de empresas, incluindo a alemã BMW, Porsche e Siemens (SIEGY), disse que desenvolveu uma tecnologia que pode ajudar a tornar realidade o carregamento ultra rápido.

Eles divulgaram, recentemente, a notícia de que uma estação de carregamento de 450 kW que precisa de apenas três minutos para fornecer energia suficiente para um percurso de 100 quilômetros. Uma carga completa leva 15 minutos.

Ian Ellerington, diretor de transferência de tecnologia da Faraday Institution, disse que a tecnologia é significativamente melhor do que a que está disponível atualmente, mesmo que haja grandes problemas a serem resolvidos antes da fabricação em massa.

“450kW é substancialmente mais rápido que os carregamento que a empresa Tesla (120kW), e em princípio seria 10 vezes mais rápido que os carregadores rápidos que estão atualmente amplamente disponíveis”, disse o especialista para a notícia.

Atualmente, longos tempos de carregamento são uma grande desvantagem dos carros elétricos no mercado. Eles diminuem as viagens e são um grande inconveniente para os proprietários que não podem carregar seus carros em casa.

Ellerington disse que a próxima geração de carregadores pode ajudar a resolver o problema.

“A 350-450kW, o carregamento elétrico levará um tempo comparável ao reabastecimento com gasolina, o que tornará as viagens longas em veículos elétricos tão práticos quanto em carros que usam combustíveis líquidos”, disse ele.

Quanto ao problema com energia, mais trabalho de desenvolvimento é necessário para tornar os carregadores de 450 kW uma opção prática.

Conforme explica Ellerington, uma das principais peças do quebra-cabeça é a construção de carros capazes de lidar com o aumento de potência.

“Acredito que não há veículos atualmente no mercado que possam aceitar essa quantidade de energia, e será necessária a próxima geração de baterias para aproveitar toda a capacidade”, disse ele.

Conforme as notícias, para o projeto de carregamento de 450 kW, a BMW e a Porsche projetaram carros especificamente para os testes.

Keith Pullen, professor de sistemas de energia da City, Universidade de Londres, disse que o carregamento ultra rápido vem com outras desvantagens. “Se você carregar uma bateria muito rapidamente, é menos eficiente, e realmente danifica a bateria”, disse ele a notícia.

As notícias são de que a tecnologia pode ser útil em uma emergência, mas o uso frequente pode causar desgaste rápido da bateria.

Mega da Virada terá prêmio de mais de R$ 200 milhões

As apostas para a Mega da Virada já podem ser feitas em Casas Lotéricas de todo país. Segundo estimativa da Caixa Federal, revelada em notícias divulgadas pela instituição, neste ano o prêmio deve ultrapassar o valor de R$ 200 milhões.

A aposta mínima é no valor de R$ 3,50. Nesse caso, o jogador vai escolher seis números e assinalar. A aposta pode ser feita em qualquer Casa Lotérica. Há também a possibilidade de realizar o jogo no sistema online da Caixa Federal.

Essa será a primeira vez que serão aceitas apostas virtuais. Interessados poderão entrar no site Loterias Online, ir até “Mega da Virada”, que está listada na página, e clicar em “aposte agora”.

Uma nova página será aberta, na qual o apostador deverá assinalar os números. A única desvantagem em realizar a aposta virtual e não nas Casas Lotéricas é que há um gasto mínimo de R$ 30, para os jogos online, enquanto nas Lotéricas é possível gastar apenas R$ 3,50. Podem jogar online pessoas com pelo menos 18 anos de idade, que possuam cartão de crédito.

Quem for correntista da Caixa também poderá fazer a sua aposta na Mega da Virada através da internet banking. É mais uma forma de não precisar enfrentar as longas filas nas Lotéricas.

Serão aceitos os jogos da Mega da Virada até às 14 horas do dia 31 de dezembro de 2018 ou até que a Casa Lotérica da sua cidade seja fechada. Nesse sorteio, o prêmio não acumula. Assim, se ninguém acertar os seis números o valor será dividido pelas apostas com cinco acertos e assim sequencialmente, até que alguém seja premiado.

O sorteio da Mega Sena da Virada vai acontecer no dia 31 de dezembro de 2018, a partir de 20 horas. A TV Globo transmitirá ao vivo e informará os números. A quantidade de apostas premiadas deve ser revelada antes do término do ano.

Entenda porque os bancos digitais são uma ameaça aos “tradicionais”.

A internet definitivamente está modificando até mesmo o modo com o qual nos envolvemos com a vida financeira, e os bancos digitais são a maior prova disso. Também chamados de fintechs, eles conquistaram o coração de muitas pessoas, e os números só crescem.

Isso se deve, principalmente, ao fato de a maioria deles não apresentar taxas e anuidades. Em tempos de crise econômica, qualquer economia é bem vinda. Mas não é apenas o fator financeiro que agrada aos consumidores.

O bom atendimento é um dos pontos chave. Os bancos digitais resolvem qualquer problema rapidamente, com qualidade, em um atendimento por chat, dentro do próprio aplicativo, e na comodidade da sua residência. Não ter que enfrentar senhas e as filas dos bancos é essencial para quem procura esse tipo de serviço.

Além disso, enquanto as instituições tradicionais se perdem em burocracias e, na maior parte das vezes, não resolvem concretamente o problema do público, nos digitais o cliente pode usar o app para checar as datas de vencimento, pedir um aumento de limite, ver a sua fatura, pedir um cartão virtual e até mesmo antecipar parcelas futuras, ganhando descontos. Tudo isso facilita a vida dos consumidores, que não perdem tempo com as burocracias e filas tão presentes nas instituições tradicionais.

Esse novo modo de realizar operações e transações também oferece melhores programas de pontos e vantagens, onde a cada R$1 gasto, você ganha um ponto, que pode ser usado para “apagar” compras da sua fatura mais tarde.

Segundo uma pesquisa realizada pelo Google, de 800 participantes, 46% ainda usam instituições tradicionais. No entanto, diferença de satisfação entre quem aposta em novos bancos é chocante: 71%, contra 42% dos bancos tradicionais. O nível de insatisfação é de 19% nos clientes das fintechs e de 25% nas instituições mais antigas.

Você encontra no site Exame as notícias completa realizada pela Google.

Essa ameaça aos bancos mais conservadores os preocupa. Parece que já está mais do que na hora das instituições correrem atrás de planos digitais e com benefícios, ou se tornarão ultrapassadas em breve.

 

Como economizar e não gastar à toa?

Um intercâmbio, uma casa própria ou um carro, aqueles sonhos que em alguma fase da vida você vai ter. Entretanto, eles parecem ser muito distantes por inúmeras vezes, já que nunca sobra dinheiro.

As dívidas são um dos principais empecilhos para que conseguimos juntar dinheiro. Justamente por isso é importante que consigamos nos planejar e assim, acabar com as dívidas e pararmos de gastar com bobeiras.

1.Anote todos os seus gastos

Para que você tenha um controle real das suas finanças, você precisa saber o quanto ganha, o quanto gasta e com o que gasta. Anote todos os seus gastos, incluindo aquele cafezinho ou as balinhas que compra. Assim será possível saber para onde o seu dinheiro vai.

2. Cartão de crédito? Nunca nem vi!

 

Os cartões facilitam as nossas vidas, mas quando mal utilizados podem torná-las um verdadeiro furacão. Para guardar dinheiro que seria utilizado de uma maneira fútil, deixe o cartão em casa e só o utilize em emergências. Inúmeros estudos demonstram que quando pagamos em espécie economizamos 30% a mais, já que com o dinheiro em mãos, o nosso cérebro tem a consciência de que estamos gastando e com o cartão não.

3. Faça uai!

Muitas vezes gastamos nosso dinheiro com besteiras, e com coisas que nós mesmos poderíamos fazer, por isso, se você quer mesmo economizar, não pague por coisas que você mesmo pode fazer, como a faxina e a manicure.

4. Listas e mais listas para agora!

Ir a qualquer compra sem uma lista, é pedir para gastar! As lojas são feitas para envolver e induzir ao consumo, por isso liste o que realmente precisa e se mantenha fiel a esta lista.

5. Quer comprar? Espera!

Quer comprar alguma coisa? Espere três dias! No impulso compramos com afoite e sem analisar friamente. Com este tempo será possível avaliar se você realmente precisa daquele produto ou se é apenas a vontade de comprar.

6. Bora pôr a mão na massa!

O gasto com alimentação tem chegado a níveis exorbitantes, já que pode ser um tremendo gasto quando paramos para contabilizar os gastos com este hábito. Por isso, cozinhe sua própria comida. Além disso ser mais saudável, pois você vai saber exatamente o que está ingerindo, tanto no almoço, quanto na janta.

7. Fique atento a internet!

Cartões de loja, as propagandas que aparecem no seu feed do Facebook ou do próprio Google são as maiores iscas para os gastos rápidos e impensados. Por isso, bloqueie esses anúncios e passe a não assinar os e-mails marketing, que são uma tentação para quem deseja economizar e quem sabe até empreender com negócios no futuro.

Empreendedorismo e economia

O mundo moderno é apaixonado pelo empreendedorismo. Começar seu próprio negócio tem o mesmo tipo de posição de prestígio que, em eras anteriores, fez uma peregrinação a Jerusalém ou espancou vários inimigos em batalha.

No entanto, o que é preciso para ser um empreendedor de sucesso com boa economia continua sendo enlouquecedoramente elusivo. Os governos e os órgãos públicos fazem o melhor que podem para incentivar as pessoas, ajudando com os aspectos práticos: oferecendo incentivos fiscais, tornando o fracasso menos punitivo, estabelecendo “zonas empresariais” e assim por diante. No entanto, no âmago do empreendedorismo de sucesso está algo estranhamente mais abstrato: uma visão precisa das causas da infelicidade humana. Todo negócio de mente moral está de algum modo aliviando um tipo particular de sofrimento.

Como a sociedade de consumo está agora bem desenvolvida, pode ser fácil pensar que tudo já deve ter sido feito para agradar e saciar a audiência, que todo o truque e a emoção possíveis foram amplamente explorados e, na verdade, temos muita coisa ‘ já. Essas preocupações podem então fundir-se com uma preocupação ecológica pela diminuição dos recursos do planeta – para criar uma visão que deveríamos, a partir de agora, buscar menos e que o capitalismo é feito. No entanto, a teoria de que, de alguma forma, chegamos ao fim do caminho da inovação empresarial, que tudo já foi feito, é conceitualmente impossível. A evidência mais clara para essa afirmação é que, na maioria de nós, ainda somos muito infelizes em todos os tipos de formas fascinantes (e, nesse contexto, inspiradoras). Para o empreendedor entre nós, as frustrações, irritações e tristezas do presente são uma fonte inesgotável de matéria-prima a partir da qual os negócios do futuro podem ser construídos.

Para obter uma medida de quantas novas empresas ainda precisam ser inventadas – e, portanto, quanto mais capitalismo tem que desenvolver – precisamos apenas tirar um dia normal e focar em quanto nos irrita e o quanto nos satisfaz desde o momento em que acordamos. até o momento em que voltamos a dormir. As áreas em que estamos razoavelmente felizes são aquelas em que desenvolvimentos posteriores parecem desnecessários. O mercado está evidentemente saturado e os novos participantes enfrentarão altos níveis de concorrência, que apenas reduzirão os salários e a lucratividade de todos os participantes; enquanto áreas de insatisfação são, em essência, zonas de oportunidades inexploradas. Quanto maior a infelicidade, maior o mercado potencial.

Como se tornar um empreendedor social

Como empreendedor, você precisará desenvolver uma sólida rede de empreendedores e investidores. Em um artigo publicado pela Forbes, Susan Rittscher, presidente e CEO do Center for Women & Enterprise, afirma que “os empreendedores bem-sucedidos sabem que a força vital de seus negócios é encontrada em fazer as conexões certas. Seja para alianças de negócios em potencial, vendas, marketing, gerenciamento da cadeia de suprimentos ou apenas para escapar da solidão de ser um solopreneur, fazer conexões é vital para o crescimento dos negócios. ”De participar de eventos de financiamento, usar toda a sua audácia para caminhar até Uma multidão e começar a distribuir cartões de visita, o desenvolvimento de sua rede irá ajudá-lo a proteger sua empresa, seja para ou sem fins lucrativos.

Além disso, é importante nutrir sua rede de forma eficaz e, para isso, você precisará ter certeza de que é o “tamanho certo”. Punit Arora, professor assistente na Escola Colin Powell de Liderança Cívica e Global, afirma que “muitos empreendedores iniciantes sentem que quanto maior o tamanho de sua rede, maiores suas chances de sucesso. Nada poderia estar mais longe da verdade. ”Quanto mais conexões você tem, mais complicado é se manter atualizado com elas, especialmente quando você está começando. Como diz Punit Arora, “semeie suas sementes estrategicamente, incentive a polinização cruzada [crie pontes dentro de sua rede], pense em variedade, não em quantidade”.

Como estudante de Empreendedorismo Global, você tem outra importante fonte de poder em sua rede: ex-participantes do Programa Global de Empreendedorismo que já passaram pelo processo de desenvolvimento e que lhe darão conselhos valiosos com base em sua experiência comum no programa e em suas necessidades.

Além disso, durante todo o programa, você tem a oportunidade única de participar do Fórum Mundial de Empreendedorismo e ficar por dentro das principais notícias, um think-tank líder mundial em empreendimento social criado pela EMLYON Business School e KPMG France em 2008. Durante o evento, você fala com empresários excepcionais que fizeram um impacto distinto na sociedade. Por exemplo, a coorte deste ano teve a chance de conhecer Rodrigo Baggio, criador do Comitê para a Democracia em Tecnologia da Informação do Rio de Janeiro, que ajudou pessoas desfavorecidas a obter acesso às TIC, e Rapelang Rabana, do Botswana, criador da Rekindle Learning, uma start-up que oferece soluções inovadoras de e-learning para celulares e tablets.

Mais Médicos pretende suprir as vagas deixadas pelos cubanos até o início de 2019

De acordo com notícias veiculadas pelo Ministério da Saúde no final de 2018, uma cota de 19,7% de médicos envolvidos no Programa Mais Médicos já se apresentaram aos seus respectivos locais de trabalho nos municípios brasileiro. Esse percentual de médicos é referente a um total de 8.366 profissionais contratados nesta primeira fase do programa. Esses profissionais foram contratados para substituir os médicos cubanos que estão deixando o país, após especulações de que o próximo governo brasileiro cancelaria o contrato com Cuba.

Segundo o ministério, todos os 8.366 médicos já estarão em atividade no início de 2019. A assessoria do Ministério da Saúde que vem cuidando desse assunto informou que são ao todo 8.517 vagas disponíveis para o Programa Mais Médicos, sendo que quase todas as vagas já estão preenchidas. O percentual de preenchimento já atingiu a casa dos 98% de vagas assumidas por profissionais brasileiros.

A maior preocupação no momento é em relação às regiões mais afastadas do país, que representam dificuldades logísticas no preenchimento de vagas. Serão 2.824 municípios atendidos pelo programa, com 8.517 postos de trabalhos que estavam ocupados por médicos cubanos até o final de 2018. Desse número de municípios atendidos por médicos cubanos, 1.600 dependiam exclusivamente desses médicos estrangeiros. Sem esses médicos, esses municípios ficam completamente desassistidos de atendimento médico para seus habitantes.

Um outro dado preocupante levantado pelo Conasems (Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde), é que 40% dos médicos inscrito no Mais Médicos já fazem parte da rede pública de saúde junto às Equipes de Saúde da Família do SUS (Sistema Único de Saúde). Isso resulta em postos de trabalho descobertos a médio e longo prazo.

Para lidar com esse problema, o Ministério da Saúde classificou os municípios que serão atendidos pelo Mais Médicos em níveis de vulnerabilidade. Os médicos escolhidos para fazer parte do programa terão que priorizar os locais mais vulneráveis, como distritos indígenas e áreas de baixa infraestrutura com população carente. Essa preocupação de levar atendimento aos locais mais carentes e afastados do país vem sendo priorizada pelo programa, que terá um déficit de médicos nessas regiões ao longo desta transição.

Conheça a tecnologia para tratamento de doenças que pode permitir a invasão de cérebros

Cientistas descobriram um tipo de tecnologia capaz de espionar a memória de seres humanos, aponta o Portal de Notícias Terra. Mesmo parecendo algo típico de filmes de ficção científica, estudiosos do assunto alegam ser possível com que uma determinada pessoa possa ter seus pensamentos vigiados e controlados através de recursos de última geração.

O mecanismo responsável por esse tipo de invasão baseia-se na adoção de estímulos realizados de maneira profunda nas estruturas cerebrais. A partir disso, torna-se possível que se descubra de que formas são criadas as memórias, bem como todos os desdobramentos que podem ocorrer na mente humana.

Isso, entretanto, só é possível através do uso de um implante próprio. Apesar de a descoberta ter movimentado o meio científico, pesquisadores da Universidade de Oxford e da Kaspersky Lab alegam que há pontos considerados vulneráveis no que diz respeito ao programa que se deve usar para isso. O próprio equipamento empregado também precisa de ajustes, segundo os cientistas.

A recente descoberta deverá ser empregada prioritariamente no tratamento de algumas doenças neurológicas que não respondem bem aos tratamentos convencionais. O Mal de Parkinson será uma das primeiras a ser estudada a partir da nova perspectiva. Dessa maneira, uma série de estímulos deve ser realizada em partes cerebrais específicas a fim de que se conheça a causa de diversas enfermidades.

As demais doenças que poderão ser analisadas com o uso deste recurso são o TOC (Transtorno Obsessivo-Compulsivo), alguns tipos de depressão e aquelas que possam ocasionar tremores de diversas naturezas.

A versão atual do dispositivo conta com implantes que funcionam através de um software. Este, por sua vez, permite com que médicos consigam gerenciar o uso do recurso por meio de smartphones ou tablets. Já a forma de conexão adotada é aquela em que há a necessidade de se empregar a tecnologia Bluetooth.

Este tipo de conexão, contudo, tem gerado grande preocupação em membros da comunidade científica, já que foi verificada a existência de grande vulnerabilidade, sobretudo em relação ao fato de que se torna possível uma invasão de pessoas mal intencionadas. Assim sendo, invasores poderiam ter conhecimento acerca de dados ou procedimentos de natureza sigilosa, o que acarretaria em danos.

Saiba mais:

https://www.terra.com.br/noticias/tecnologia/digital/nao-e-ficcao-tecnologia-para-invasao-de-cerebros-ja-existe,84eeb474d3dd408b8b353b476bbf24b8mks3prze.html

A situação do Museu Nacional depois de pouco mais de 2 meses

O Museu Nacional, mais conhecido por Museu da Quinta da Boa Vista, no Rio de Janeiro, sofreu um acidente catastrófico que colocou em chamas um patrimônio de mais de 20 milhões de itens, que representava um dos 4 maiores museus com maior importância do planeta em termos de itens de paleontologia e astronomia. E além disso, o patrimônio administrado pela UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro) estava longe de ser um simples local para ir com a família durante os finais de semana ou feriados para se distrair e aprender, nem mesmo que fosse por osmose, já que aquele espaço estava repleto de história, o qual representava um dos berços da ciência e tecnologia brasileira, moradia da Família Imperial. O que coloca medo aos pesquisadores, funcionários e a população como um todo são as frequentes chuvas, que podem colocar em situação de urgência, já que as estruturas podem ser prejudicadas e o pouco do acervo que havia sido conservado poderia estar sob risco, como é o caso do meteorito de Bendegó, com mais de 4,5 bilhões de anos.

Os responsáveis pelo Museu em entrevista ao Portal de Notícias Extra Online disseram que o grande risco tem sido as chuvas e a rápida elevação da temperatura, que torna o ambiente propício à produção de fungos e ferrugem, com possíveis maiores complicações. E de acordo o diretor do Museu, Alexander Kellner, é necessário que a instituição receba o quanto antes um investimento de 56 milhões de reais, que não estaria nem perto do valor total estimado para reconstrução do patrimônio, que teve um orçamento de 300 milhões de reais, mas que segundo dados do Governo Federal somente houve a transferência de 9 milhões de reais, que ficaram destinados ao escoramento e a cobertura dos escombros do prédio.

O Museu Nacional tinha e ainda tem uma relevância na história do mundo, ele está muito além de ser um centro de pesquisa, ciência e tecnologia, com cultura nacional, ali foi uma espaço que mantinha uma parte da informação intelectual, científica e antropológica da existência da vida e da natureza como um todo, por isso que sua reestruturação é algo relevante à consciência humana.

 

Os quatro tipos de empreendedorismo

Empreendedorismo para Pequenas Empresas Atualmente, o número esmagador de empreendedores e startups nos Estados Unidos ainda é pequeno. Existem 5,7 milhões de pequenas empresas nos EUA. Elas compõem 99,7% de todas as empresas e empregam 50% de todos os trabalhadores não-governamentais.

Pequenas empresas são mercearias, cabeleireiros, consultores, agentes de viagens, lojas de comércio na Internet, carpinteiros, encanadores, eletricistas, etc. Eles são quem dirige o seu próprio negócio. Eles contratam funcionários locais ou familiares. A maioria é pouco lucrativa. Sua definição de sucesso é alimentar a família e obter lucro, não para assumir uma indústria ou construir um negócio de US $ 100 milhões. Como eles não podem fornecer a escala para atrair capital de risco, eles financiam seus negócios através de amigos / família ou empréstimos para pequenas empresas.

Empreendedorismo: Ao contrário das pequenas empresas, as startups escaláveis ​​são o que os empreendedores do Vale do Silício e seus investidores de risco fazem. Esses empresários começam uma empresa sabendo desde o primeiro dia que sua visão poderia mudar o mundo. Eles atraem investimentos de investidores financeiros igualmente malucos – capitalistas de risco. Eles contratam os melhores e mais brilhantes. Seu trabalho é procurar um modelo de negócios repetitivo e escalável. Quando o encontram, seu foco em escala requer ainda mais capital de risco para impulsionar a rápida expansão.

Empreendedorismo de grandes empresas Grandes empresas têm ciclos de vida finitos. A maioria cresce através da inovação sustentada , oferecendo novos produtos que são variantes em torno de seus principais produtos. Mudanças nos gostos dos clientes, novas tecnologias, legislação, novos concorrentes, etc. podem criar pressão para inovações mais disruptivas – exigindo que grandes empresas criem produtos totalmente novos vendidos para novos clientes em novos mercados. As empresas existentes fazem isso adquirindo empresas inovadoras ou tentando construir um produto disruptivo dentro. Ironicamente, o tamanho e a cultura das grandes empresas tornam a inovação disruptiva extremamente difícil de executar.

Empreendedorismo Social Os empreendedores sociais são inovadores que se concentram na criação de produtos e serviços que solucionam necessidades e problemas sociais. Mas ao contrário de startups escaláveis, seu objetivo é tornar o mundo um lugar melhor, não tomar parte do mercado ou criar riqueza para os fundadores. Eles podem ser sem fins lucrativos, com fins lucrativos ou híbridos.