Conheça a pesquisa que mapeou a situação das privatizações no Brasil

Conforme uma pesquisa realizada pela CNI (Confederação Nacional das Indústrias), até que a infraestrutura do país atinja patamares ideais, todo o processo levará mais de 20 anos. Felipe Montoro Jens, especialista em projetos dessa natureza, informa que mais investimentos deverão ser realizados a fim de que o Brasil consiga deslanchar nesse aspecto.

O estudo também concluiu pontos importantes acerca do modo de execução de tais projetos. Dentre o que mais recebeu destaque na publicação, está o fato do país demandar por planejamentos bem estruturados. Felipe Montoro Jens esclarece que isso faria com que boa parte dos recursos fosse melhor empregada.

Em razão da maneira como os projetos são realizados, pôde-se apontar que existem falhas no processo de execução, sobretudo nas partes que cabem aos Estados. Para que esse cenário se modifique, Felipe Montoro Jens destaca a necessidade de se elaborar com maior critério as ações decorrentes de assuntos ligados à infraestrutura.

Para que se modernize de fato, especialistas da CNI defenderam o posicionamento de que o país precisa dar mais abertura aos investimentos provenientes da iniciativa privada. Com isso, as privatizações são vistas como fundamentais para que haja maior equilíbrio na balança comercial nacional, noticia o empresário Felipe Montoro Jens.

Embora ainda haja muito a ser feito, o estudo já aponta melhorias no que diz respeito à adoção de privatizações no país, salienta o especialista em projetos de infraestrutura. Há ainda perspectivas de maiores avanços em questões estruturais, segundo apontou algumas conclusões obtidas a partir da realização da pesquisa.

Felipe Montoro Jens reporta certas dificuldades em relação à ações que envolvem as privatizações. Mesmo com essa constatação, os retornos sobre investimentos costumam ser satisfatórios. O empresário explica que há a necessidade de se contar com grande segurança jurídica no momento de se firmar parcerias desse tipo, uma vez que sempre há pontos a se esclarecer.